Tecnologia de ponta rastreando os navios da Transpetro

0

Petrobras utiliza sistema GIS para rastrear navios. A tecnologia otimiza a visualização do transporte de petróleo e derivados.

A Petrobras passou a utilizar o sistema Integrador para rastrear seus cerca de 120 navios que realizam o transporte de uma média de 5400 toneladas de petróleo, derivados, gás e álcool por mês, em operações de importação, exportação, produção e cabotagem. O sistema foi desenvolvido pela Petrobras e utiliza tecnologia GIS – Geographic Information System da Intergraph, provedora de aplicativos georeferenciados, distribuídos no Brasil pela Sisgraph.Inicialmente, o sistema vai monitorar uma frota composta por 56 navios da Transpetro (subsidiária da Petrobras) para eliminar gastos em portos e outras despesas inerentes a este tipo de operação e também deverá aumentar medidas de segurança e proteção ao meio ambiente. O rastreamento dos navios costuma ser feito manualmente, com a utilização de cartas náuticas.Ricardo Ramos Diniz, responsável pelo projeto GIS da Gerência de Tecnologia da Informação do Abastecimento da Petrobras, explica que o sistema extrai informações de GPS (Global Position Systems) emitidas pelos navios, via Inmarsat (rede de satélites) e faz a decodificação em software GIS da linha Geomedia, da Sisgraph, que são os responsáveis pela integração desses dados com as bases de dados corporativos da companhia, alocados em sistemas de bancos de dados como Oracle e plataformas SAP, IBM, e arquivos access, etc.

Tela do Sistema GIS da Intergraph Geomedia

O Integrador foi desenvolvido com base no software GeoMedia Professional e utiliza o aplicativo GeoMedia WebMap para transformar a informação em padrão geográfico em dados Web que podem ser recuperados pela rede corporativa comum da Petrobras.

“Com o sistema, podemos visualizar em mapas as informações integradas dos bancos de dados corporativos via Intranet da empresa,” afirma Diniz. A partir dessa automatização de mapas, a Petrbrás pode analisar as informações, otimizando as rotinas relacionadas a cabotagem, exportação e importação, como a eliminação de sobreestadias em portos e o envio de socorro em caso de sinistros.

Fonte: Acordo Coletivo

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta