Petrobras considera a possibilidade de expansão da frota de FPSO’s

0

A empresa, baseada no Rio de Janeiro, vai examinar se seria possível implantar um FPSO de gás (LNG) sobre o campo petrolífero gigante de Tupi para atuar como um hub para armazenamento e exportação para as reservas da área de gás locais.

O plano seria ideal para um navio, ou uma frota de navios, do tamanho dos navios classe Q-Max LNG ou Very Large Crude Carrier, que possam  processar, liquefazer e exportar o gás.

Petrobras planeja FPSO’s de GLP

A Petrobras contratou a SBM Offshore (Mônaco) e a Chiyoda (Japão) para realizar o projeto de engenharia e o projeto do conceito, achando uma alternativa para que um gasoduto de exportação pudesse ser construído até a costa brasileira.

Tony Mace, executivo da SBM, disse que o estudo será concluído este ano e poderia resultar em uma decisão da Petrobras em 2011.

“Se a BR decidir sobre a FPSO LNG, esperamos ser convidados a apresentar uma proposta sobre uma base de venda para isso. Nosso planejamento pede um prêmio no final do próximo ano “, disse o Sr. Mace.

“Se a BR decidir, há chances de que haveria um, dois, talvez três outros FPSOs LNG (já encomendados), porque essas instalações são adequadas para a área do campo de Tupi e coleta de gás nessa zona.

“Há uma série de outros grandes campos nas redondezas, que também exigem plantas para coleta de gás. Então, essa é uma perspectiva interessante “, acrescentou o Sr. Mace.

A Petrobras planeja desenvolver o campo petrolífero gigante de Tupi na Bacia de Santos, com uma série de oito FPSOs para produzir até 1 milhão de barris de petróleo por dia até 2020.

FPSO LNG

Há vários desafios a estes planos, incluindo a lâmina d’água de cerca de 2.200 m, e as grandes reservas de gás associado, que a Petrobras, a princípio, não seria capaz de queimar.

Outra preocupação é o alto teor de dióxido de carbono do gás, que terão de sair separados e reinjetado.

Futuros projetos na bacia de Santos incluirão o desenvolvimento das jazidas de Guará, Iara e Carioca, que também têm associadas os recursos de gás que poderiam ser ligados a FPSOs LNG.

Matéria publicada na Lloyd’s List

Tradução livre por Rodrigo Cintra


Deixe uma resposta