Assessorias de Imprensa na Rio Oil & Gas – Serve um Folder?!

0

A Feira Rio Oil & Gas 2010 foi maravilhosa em vários aspectos. Tecnologia de ponta e em peso, bonito de se ver. Os principais nomes da Indústria Marítima e Offshore estavam presentes. O problema é que não queriam muito papo com a Imprensa.

Fiz o credenciamento por volta das 14:00 do segundo dia de exposições e, tirando o guichê que emitia os crachás verdes (para jornalistas), não havia praticamente nenhum espaço onde éramos recebidos com eficiência.

Clique na imagem e conheça a empresa

Palmas para a LLX e a Weatherford, que nos receberam com carinho e cuja assessoria de imprensa deu um verdadeiro show de profissionalismo. Com estas empresas, nosso diálogo foi muito proveitoso.

Clique na imagem e conheça a empresa

O placar subiu muito para estas companhias, mas desceu vertiginosamente para a Odebrecht, cuja assessora de comunicação nos tratou como se fôssemos incompetentes. Segue o comentário da “profissional”:

“Entendam melhor do assunto e voltem aqui depois”.

Tudo porque pedimos algum outro press release – texto direcionado à imprensa para sugerir matérias – já que ela não tinha preparado um específico para o evento. Na minha opinião de repórter, a Odebrecht assinou um atestado de despreparo de olhos vendados, deixando a sua comunicação nas mãos desta profissional, que destratou um meio de comunicação acessado por milhares de pessoas diariamente. Pergunto sinceramente aos leitores: Vocês acham realmente que uma redação formada por 99% de marítimos e profissionais embarcados, atuantes na Indústria Offshore, não entende nada de indústria marítima/offshore? Em nosso staff temos: Oficiais de Máquinas, Oficias de Náutica, Operadores de Posicionamento Dinâmico, um Coordenador de Manutenção de uma Plataforma de Perfuração, um Oficial de Máquinas que, além disso, é Engenheiro Mecânico, Engenheiro de Segurança no Trabalho e Perito Judicial nas áreas Marítima/Offshore, Mecânica e Segurança, pelas Comarcas de Rio de Janeiro e Macaé, um Dock Master de um grande Estaleiro em Angra dos Reis (será que ela sabe o que é um Dock Master?), todos atuando no Mercado, no Brasil e no exterior, em empresas de renome Internacional, e este humilde Jornalista que vos escreve. Ah, claro, quem deve entender é ela, que embarca nas plataformas de seus tamancos de grife e viaja na maionese numa escala filipina.

Sem querer crucificá-los, acrescento que a maioria das empresas não estava preparada para a imprensa. É fato que muitas companhias são carentes de um bom trabalho de comunicação externa. Era bater e valer: “Boa tarde, sou Marcus, do Portal Marítimo, vocês têm algum material para nós divulgarmos vocês?”, e logo depois vinha aquela cara de ´Ih, ferrou!´ e respondiam: “Olha, nós não temos…Serve um folder?”.

E assim ficaram nossos colunistas para escreverem algo sobre muitas empresas após a Feira

Não, não serve um folder. Mas, jornalistas que somos, movidos pela paixão, amontoamos os malditos folders para manter aberta a porta da Redação e botamos a cara em busca de matérias bacanas sobre estas empresas. Afinal, a deficiência não está nos fatos, mas sim nos atos.

Deixo aqui registrado que a feira não estava preparada para ser coberta por nós, Jornalistas – e deveria estar. É claro que isso não nos impediu de fazer uma boa cobertura. Somos responsáveis por um site novo, mas que já está indo de vento em popa, e isso aconteceu – pela lógica – porque fazemos um bom trabalho.

Um último recado: Odebrecht, sua assessora está a fim de te “folder”.

Por Marcus Lotfi

1 COMENTÁRIO

  1. Vale aqui ressaltar que a Assessoria da BG foi perfeita.
    A Ana Carolina Azevedo não só possuía um release pronto, como também me atendeu muito bem hoje ao telefone.
    Ontem, último dia, só fomos eu e Vasconcelos, e pude confirmar tudo o que você escreveu aqui, Lotfi.
    Eu acho que a estrela de cada stand é a empresa, não o Assossor de Imprensa. Pena que muitos profissionais ainda não têm essa consciência e invertem esses papéis, mas fazer o quê?

  2. De fato, foi até incômodo quando ela disse para nós “entendermos um pouco do assunto e depois retornarmos”. É o momento de contar até 10 e respirar fundo. E olha que me apresentei como marítimo, atualmente embarcado numa sonda de renome no mercado internacional E jornalista do PortalMarítimo.

    Fazer o quê, né!?

  3. Olá, boa tarde Rodrigo Cintra.

    Recentemente, o senhor leu uma postagem minha abordando sobre as empresas que deram um show de cordialidade para nós na Rio Oil and Gas. Infelizmente, notei um certo descaso de algumas empresas com a imprensa, e principalmente com a classe estudantil.
    Sou estudante de Petróleo e Gás, e gosto de escrever matérias sobre a área, me interesso muito.
    Mas, tiveram outras empresas que, realmente, deram um verdadeiro show de apresentação a cessoria para nós. Sendo assim, tive que parabenizá-las.

    Abraços.

    Juliana Silveira do Tecnopeg

    • Bem vinda, Juliana.
      Nós também soubemos reconhecer as que deram a devida atenção a Imprensa.
      O que nos deixou estarrecidos foi ver uma pessoa que se diz Jornalista não fazer o “dever de casa”.
      Assessoria de Imprensa tem como básico do básico a preparação de “releases”.
      O descaso da profissional citada foi realmente inacreditável.
      Minha equipe esteve lá antes de mim, pois eu estava embaracado.
      No dia em que desembarquei, fiz questão de ir lá e ver com meus próprios olhos.
      As grandes “estrelas” da Feira são os EXPOSITORES e não os “ASSESSORES DE IMPRENSA”.
      Enquanto houver profissionais como estes no Mercado, a profissão de Jornalista vai ficar como está: não precisa ser formado em Jornalismo para ser Jornalista, um verdadeiro ABSURDO.
      Você está coberta de razão em parabenizar os que fizeram seu trabalho corretamente. Também tivemos esta boa impressão em alguns expositores.
      Pena que foram poucos.
      Obrigado por sua participação, Juliana.
      Seja sempre bem vinda em nosso espaço.

Deixe uma resposta