Vale anuncia investimentos na indústria naval e lança rebocador no Pará

0

A Vale investiu mais de nove milhões de reais na construção de um rebocador no Estaleiro Santa Cruz, em Aracaju, Sergipe. Os números foram anunciados hoje, durante o batizado do rebocador Urucum, na Base Naval de Belém do Pará, uma das cinquenta e uma embarcações encomendadas pela empresa a estaleiros brasileiros, para garantir segurança e competitividade na ampliação de suas operações portuárias e marítimas. Segundo Fábio Brasileiro, diretor de Navegação da Vale, a embarcação faz parte da frota que apoia as operações do Porto de Vila do Conde, em Barcarena, no Pará.

“É uma embarcação de apoio portuário que tem como principal função suportar as manobras de porto de embarcações que demanda o porto de Vila do Conde. É um rebocador de ultima geração e que tem 45 toneladas de capacidade estática, ou seja, ele tem capacidade de tração de 45 toneladas. Esse rebocador tem por objetivo dar mais segurança e garantir a utilização e eficiência do terminal portuário.”, afirmou o Diretor de Navegação da Vale, Fabio Brasileiro.

Brasileiro comenta ainda que as encomendas da Vale a estaleiros nacionais totalizam investimentos de aproximadamente quatrocentos e quatro milhões de reais e contribuem para o aquecimento da indústria naval brasileira, com a geração de dois mil quatrocentos e sessenta e cinco empregos diretos e indiretos. O diretor de Navegação da Vale comenta como estão as obras de novos rebocadores, catamarãs, barcaças e empurradores.

“As obras estão em dia, esse está sendo o quarto rebocador que nós estamos recebendo. A gente deve estar com todas as embarcações concluídas até o final do primeiro semestre do ano que vem. Os investimentos estão realmente andando dentro do projetado pela Vale.”, disse.

A Vale vem investindo na indústria naval para melhorar a competitividade nos portos da empresa e em além destas embarcações, a Log-In Logística Intermodal, empresa coligada da Vale, está construindo sete novos navios, sendo cinco porta-contêineres e dois navios para transporte de bauxita.

Com as informações, Agência do Rádio.

Por Marcus Lotfi

Deixe uma resposta