Comandante Wesley Collyer é boicotado na Propaganda Eleitoral

0

Candidato pelo PPS ao Senado pelo Estado de Santa Catarina, CMT Collyer, Juiz aposentado, está brigando na Justiça Eleitoral para poder aparecer no horário eleitoral gratuito de rádio e televisão. Excluído da programação, ele vem usando apenas a internet para divulgar suas propostas.

O Comandante se qualifica como o “candidato avulso”, pois sua candidatura, juridicamente falando, é conhecida como “candidatura individual”. Lançou-se pelo PPS, partido que integra a coligação formada por DEM, PSDB e PMDB, após aclamação em convenção partidária.

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina entendeu que o fato do PPS estar coligado com o democrata Raimundo Colombo na majoritária inviabilizaria seu registro. A questão está em fase de recursos no TSE e por enquanto, seu nome aparece nas listagens do Tribunal Eleitoral catarinense.

O Comandante declarou que isso é uma manobra para garantir mais um minuto em televisão para Raimundo Colombo. “Fui escolhido em convenção, mas pediram que não apresentasse a documentação pois caso contrário eu iria tirar tempo da aliança no programa”, diz. “Não sou de ir ao Supremo, mas vou lutar até onde puder por minha candidatura”.

Collyer diz que a sua candidatura encontra respaldo legal, mesmo se o partido integrar a tríplice aliança. “Uma medida provisória de 2006 permite essa candidatura. O problema é que até então os tribunais não haviam se deparado com questão semelhante”, disse. “Apoiamos o nome de Colombo para o governo do Estado, mas não os candidatos ao Senado da coligação”.

Sem espaço em rádio e televisão, a internet tem sido sua principal ferramenta para divulgação de suas idéias. Youtube e Twitter têm veiculado suas propostas e opiniões. “Não é justo, não concordo com o que aconteceu. Iremos brigar pela inserção no horário”, disse. “Se não conseguir, pretendo obter uma boa votação e voltar a ser candidato daqui a quatro anos”.

Um dos livros do CMT Collyer

Entre as idéias apresentadas pela internet, o Comandante disse que pretende obrigar os senadores a trabalhar de segunda a sexta-feira e lançou na rede a ideia de criar uma agência anti-corrupção. “Mesmo que seja um disque-corrupção, tal como o serviço de denúncias oferecido pela polícia”, afirma.

Além disso, Collyer também participou de debates realizados em emissoras de rádio. Autor de livros sobre ética na política, se diz indignado com a representação partidária existente no Congresso. “Sou um cidadão que se cansou e resolveu ser candidato”.

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta