Recife: 1,8 mil vagas na construção de Plataforma

0

Definitivamente, o Porto de Suape perdeu a chance de ter em seu território a construção da primeira plataforma que será usada na exploração do pré-sal. Agora, resta a liberação de licenças ambientais e aprovação de órgãos reguladores para que o Porto do Re­cife se confirme como novo local escolhido para a construção da FPSO – navios com capacidade de processar, armazenar e escoar a produção de petróleo e/ou gás natural. Ainda no primeiro semestre deste ano, a Folha revelava com exclusividade que o ancoradouro recifense recebera visitas dos executivos da Schahin – empresa que ganhou a licitação para a construção da embarcação – e que surgia como opção reserva para esse projeto. Estima-se a criação de 1,8 mil empregos diretos em relação a todo o investimento.

O diretor de Operações e Engenharia do porto recifense, Hermes Delgado, esclareceu que os empregos serão gerados na área de mão-de-obra portuária (trabalhos ligados à criação de cozinhas, banheiros, prédios, toda a parte administrativa) e que técnicos da Schahin virão ao Estado para especializar pessoas nos serviços mais ligados à indústria naval. Não há previsão sobre seleção para funcionários porque a obra ainda não está confirmada na Capital, apesar de bem encaminhada. A licença prévia para as construções no Cais 2 (área de 360 metros) já foi concedida. Projeta-se, no entanto, que até novembro a licença de instalação possa ser liberada pela Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH), quando as obras poderiam ser iniciadas. Posteriormente, uma licença de operação precisará ser expedida para que o projeto se conclua.

Em nota enviada à Imprensa, a diretoria do Porto do Recife afirma que “foi demandada pelo Grupo Schahin e seus sócios para instalação do Projeto de montagem da plataforma FPSO”. Para o fechamento do acordo, é preciso obter também a aprovação da Receita Federal (por haver equipamentos que serão importados, é preciso definir taxas e tarifas) e da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). “O casco do navio será construído na China e chega no Porto em novembro de 2011. Os módulos da plataforma serão feitos um ano antes”, disse Hermes Delgado. O prazo dado pela Petrobras para a entrega da encomenda é outubro de 2012. A Schahin receberá US$ 1,5 bilhões pela FPSO.

Com as informações – Paulo Marinho, da Folha de Pernambuco

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta