Mais três armadores em nossa cabotagem

1

A cabotagem brasileira de carga geral/conteineres continua a crescer. A  melhor prova disso é que, além dos três atuais players do setor, mais três  estarão em operação no próximo ano. Hoje, atuam na área Aliança, do grupo  Hamburg Sud, Log In, do grupo Vale e Mercosul Line, da dinamarquesa Maersk.

A curto prazo, a concorrência vai se acirrar muito – e espera-se que o sistema portuário e os acessos rodo-ferroviários possam atender à nova demanda. Os novos players serão Mur Ship, Maestra e CMA/CGM.

A Mur Ship é uma empresa de capital sul-africano que já abriu subsidiária brasileira e está procurando um navio de bandeira brasileira para comprar. Além disso, pretende encomendar um navio a estaleiro nacional.

A Maestra é formada por capitais brasileiros e já dispõe de ferramentas: o navio Atlântico Sul (ex-Lloyd e ex-Marinha do Brasil) e o Neptunia Mediterrâneo. E a francesa CMA/CGM, que vai operar o navio DG Columbia. Esse navio está sendo programado para docagem em dezembro, no Rio de Janeiro, de modo a iniciar movimentação já no início de 2011. O ganhador, com tudo isso, será o cliente.

Assim, os atuais participantes Aliança, Log In e Mercosul Line em breve terão como concorrentes Mur Ship, Maestra e CMA/CGM. Isso fatalmente levará a maior volume transportado, pois, do contrário, haveria uma crise entre os armadores. Na verdade, há muita carga a ser tirada do caminhão.Pela lei brasileira, na aviação os estrangeiros só podem ter 20% do capital. Já na navegação, uma empresa 100% de capital estrangeiro tem todos os direitos de bandeira, desde que constitua empresa no Brasil, tenha navio de bandeira nacional e contrate marítimos locais.

Com as informações – NetMarinha

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. boa noite, gostaria de saber se havera oportunidades para mnc’s brasileiros nestas empresas, pois se possivel, quero enviar cv’s pois sou mnc e a cada entrevista, sempre tem impecilios, ok? grato pela atencao.

Deixe uma resposta