Rapidinhas… 4 minutos atrasado, pois o catamarã quebrou novamente

0

De Santos ao Pará, passando por Vitória e chegando à Indonésia, as Rapidinhas estão aí, para vocês fazerem a digestão após o almoço. A única coisa que não dá para digerir é essa Novela dos Catamrãs na Travessia Rio x Niterói. Ministério Público JÁ! Cidadãos e Profissionais de Marinha Mercante estão sendo expostos.

Petrobras vende o primeiro botijão – A Petrobras colocou o primeiro gás natural do pré-sal à disposição do mercado consumidor. A extração foi pela FPSO Capixaba, instalada no campo de Baleia Franca, no Litoral Sul do Espírito Santo. Por meio do gasoduto Sul Capixaba, o combustível foi para a Unidade de Tratamento de Gás de Anchieta (UTG Sul), onde foi processado e colocado na malha do Gasoduto da Integração Sudeste-Nordeste (Gasene), que cumpre a função estratégica de integrar as malhas de transporte de gás natural existentes no país. A comercialização do primeiro gás do pré-sal foi realizada na última terça-feira.

Upgrade no Porto de Santos – “A licitação do passa por mais uma etapa em outubro com a abertura das propostas dos participantes da concorrência. VTMIS é a sigla de “Vessel Traffic Management Information System” – em português, “Sistema de Gerenciamento e Monitoramento de Tráfego de Navios”. A expectativa é que o projeto esteja implantado até o final de 2011. No Porto de Santos, o VTMIS será composto por 4 torres de monitoração e uma central de processamento e supervisão dos dados obtidos pelas torres. O sistema auxiliará no controle de tráfego de embarcações, pois tornará mais segura a espera de navios nas áreas de fundeio e mais eficiente a movimentação e atracação de embarcações no porto. Esses recursos serão integrados à gestão de segurança da Supervia Eletrônica de Dados e ISPS Code.

Indonésia “kicked ass” do Greenpeace – Autoridades da Indonésia impediram nesta quinta-feira a entrada de uma embarcação do Greenpeace, o Rainbow Warrior, em suas águas territoriais. O navio, segundo a organização, seguia em direção ao país asiático para proteger a rica biodiversidade do país asiático, além de promover o combate à mudança climática. Bustar Maitar, representante da campanha florestal do Greenpeace para o Sudeste Asiático, afirmou que o governo indonésio não deu qualquer explicação para a proibição. A embarcação deveria chegar ao porto de Tanjung, em Jacarta, na quarta-feira.

Madeira ilegal do Pará – Uma curva de rio, um rebocador e uma balsa. Para completar a cena: muita madeira ilegal e em tora, sendo carregada para a embarcação. Foi mais uma ação do Ibama, realizada desta vez entre os municípios de Portel e Pacajá, ambos no Pará, no igarapé do rio Água Azul. A imagem não mente. A embarcação já transportava 100 metros cúbicos de madeira, o equivalente a 4 caminhões carregados, segundo o Ibama. Mas estava parada, aguardando receber mais toras. O órgão ambiental avalia que a balsa e seu rebocador valem em torno de R$ 500 mil. O encarregado da embarcação disse aos fiscais que fez três viagens levando madeira do local nos últimos dias. O flagrante aconteceu no último domingo (10). A madeira extraída seria legalizada com documentação referente a um plano de manejo sustentável da região, informa o Ibama. Vale dizer: esse processo para “esquentar” madeira ilegal é comum na região amazônica.

Catamarã Rio Niterói quer virar celebridade – Por causa de um defeito no sistema de refrigeração do motor do catamarã Ingá II, que faz a travessia Rio-Niterói, a embarcação que partiria às 8h10 desta quinta-feira (15), do Terminal Arariboia, em Niterói, na Região Metropolitana, teve de ser substituída, o que causou um atraso, segundo a Barcas S.A. de quatro minutos. Não houve tumulto. Os cerca de 1.200 passageiros tiveram de trocar de embarcação, passando para o catamarã Gávea, que tem capacidade para 1.300 passageiros. Ainda de acordo com a Barcas S.A., ele estava atracado de prontidão no terminal. Segundo a concessionária, o problema no Ingá II, foi provocado por causa de lixo da Baía de Guanabara, que teria ficado preso no motor da embarcação.

O Povo carioca está educado e benevolente demais com as Barcas…

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta