Ruptura de linha de Bunker causa incidente ambiental no terminal da Transpetro em Rio Grande

0

Um derramamento de óleo do navio Baltic Champion, de bandeira maltesa, no canal de acesso ao porto de Rio Grande, está mobilizando a Capitania dos Portos e o 2º Pelotão Ambiental da Brigada Militar. O vazamento ocorreu por volta das 4h da madrugada desta quinta-feira. Durante o abastecimento do navio, no cais do terminal da Transpetro, o tanque da embarcação encheu e transbordou. Conforme a Capitania dos Portos, na água caiu em torno de 300 litros de bunker (óleo marítimo) – MS 380 -, mas uma parte também ficou concentrada no convés da embarcação.

MT Baltic Champion

Os 380 litros que escorreram para a água atingiram a região do cais da Transpetro e da Yara Brasil Fertilizantes e a margem do estuário da Lagoa dos Patos na chamada Vila das Barraquinhas. Neste último local, o óleo preto e grosso ficou retido na água, pedras e redes, além de atingir embarcações dos pescadores lá residentes. Os pescadores que tiveram barcos e redes atingidos estão preocupados. Disseram que as redes ficarão inutilizadas, pois esse óleo “cola” e não sai, e a pintura dos barcos ficará estragada. Além disso, estão impossibilitados de pescar no local, como costumam fazer.A Capitania dos Portos mobilizou helicópteros, pela manhã, para verificar a extensão da mancha e mantém lanchas na área para monitorar a situação. A Petrobras colocou barreiras de contenção em torno da área atingida para captar o produto e evitar que o bunker se espalhe. Também fará a limpeza do espaço atingido. A mancha tem aproximadamente 300 metros quadrados, segundo a Capitania, que recolheu amostras do óleo para confrontar com o do tanque do navio. “Estamos iniciando um processo administrativo para apurar responsabilidades e autuando a empresa que afretou o navio (Petrobras)”, relatou o capitão dos portos do Rio Grande do Sul, Sérgio Luiz Correia de Vasconcelos.

O superintendente do Porto de Rio Grande, Jaime Ramis, explicou ao que o vazamento ocorreu no momento em que o navio era abastecido com óleo combustível.

“Houve um rompimento de um lingote que fazia o abastecimento do combustível do navio. No total, 3,3 mil litros vazaram, porém a maior parte foi retida pelo sistema de segurança do próprio navio. Cerca de 300 litros vazaram para o mar”, afirmou.

Meio Ambiente e Pescadores - Os maiores prejudicados

Segundo Ramis, funcionários da Transpetro S.A. já iniciaram o processo para retirada do produto do mar.

Em nota, a Petrobras informou que não tem nenhuma responsabilidade sobre o fato, mas apóia o trabalho de recolhimento do óleo.

Leia a nota na íntegra:

“A Petrobras informa que o vazamento observado na madrugada dessa quinta-feira (14/10), no Porto de Rio Grande (RS), aconteceu em operação de abastecimento de combustível do navio Baltic Champion, cuja condução técnica é atribuição do armador do navio, sob os cuidados de seu comandante e respectiva tripulação, não cabendo à Petrobras nenhuma responsabilidade sobre o fato.”

O representante do navio no Brasil é a empresa Cranston Marine and P&I Consultants Ltda.

Embora não tenha responsabilidade sobre o incidente, a Petrobras está apoiando o trabalho de contenção e recolhimento do óleo no local, através de seus recursos locais e experiência técnica de combate a contingências.

Com as informações – Correio do Povo e Portal G1

Bunker MS-380 não existe. O óleo era um MF-380

Por Rodrigo Cintra


Deixe uma resposta