Estaleiro Mac Laren forma mais uma turma de detentas para a Indústria Naval

2

As lágrimas incontidas de Daniela Alaíde de Oliveira, 31 anos, posta em liberdade em 29 de julho último, refletiram toda a emoção pela nova oportunidade recebida na vida. Depois de cumprir seis anos de detenção no Instituto Penal Oscar Stevenson, em Benfica, ela está empregada nos Estaleiro MacLaren Oil, em Niterói. Daniela voltou ao presídio, na manhã desta quinta-feira, como ela mesma disse, “de cabeça erguida”, para participar da aula inaugural da terceira edição do curso de solda, ministrado pela Secretaria de Administração Penitenciária, criado em 2008 em parceria com o estaleiro.

Daniela e mais três detentas que se formaram no mesmo curso, em novembro passado, estavam ali para fazer uma demonstração do aprendizado para a nova turma, formada por 40 presas do instituto. Daniela era a gratidão em pessoa. E não era para menos. Fez gratuitamente um curso caro, com custo médio de R$ 3 mil no mercado, e já saiu da cadeia empregada, ganhando mais de R$ 1,5 mil por mês. Por isso, não se cansou de agradecer à Secretaria de Administração Penitenciária pelo curso e a dona do estaleiro, Gisella MacLaren, também presente, pela chance de recuperar a dignidade e garantir a sobrevivência própria e da família.

– Em primeiro lugar, é claro, agradeço a Deus, por ter tido verdadeiramente uma oportunidade. É uma coisa muito difícil para nós, que estamos saindo do cárcere. Muitos dizem que as portas estão abertas lá fora para nós, mas isso quase sempre não é verdadeiro. E o Estaleiro MacLaren, juntamente com a Secretaria de Administração Penitenciária, nos dá esta oportunidade de aprender uma profissão e ainda, ao sair da prisão, condições reais de se reintegrar à sociedade – enfatizou.

Daniela já está empregada porque cumpriu sua pena por furto, mas as outras três, como Marcia de Paulo, também de 31 anos, só aguardam o alvará de soltura, previsto para sair a qualquer momento, para ganhar a mesma chance na vida, provavelmente no mesmo estaleiro. Segundo o secretário de Administração Penitenciária, César Rubens Monteiro, elas recebem uma qualificação de primeira no curso, ministrada por instrutores do Estaleiro MacLaren Oil, durante cerca de dois mês, e estão aptas a trabalhar em qualquer lugar – não há contrato de exclusividade com o MacLaren.

Para ler esta matéria na íntegra, acesse Imprensa do Estado do RJ

Por Rodrigo Cintra

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns! Esse foi um Baita Gollll de placa feito pela Secretaria de Administração Penitenciária e a Gisella MacLaren. É assim que fazemos um país melhor. EDUCAÇÃO É TUDO na vida do ser humano.
    Infelizmente, os políticos egocêntricos – partidária – que gerencia o nosso país são insensatos. Quanto mais educarmos o nosso povo, melhores cidadãos teremos.

  2. Parabéns mesmo a esta parceria, que da oportunidades a pessoas que são tão descriminadas, que partem muitas das vezes p a vida do crime por não ter uma formação mínima,meu filho passou por este processo e está com muita dificuldade p ingressar no mercado de trabalho mesmo cursando o segundo grau,e tendo curso de elétrica do senai.Fico feliz em saber que os detentos estão tendo esta oportunidade.Obrigada Mac Larem!!!

Deixe uma resposta