Projeto Papa Terra

1

Com plataforma do tipo TLWP (Tension-Leg Wellhead Platform), o projeto Papa Terra inaugura uma nova era para a indústria de E&P no Brasil. E, mesmo em sua fase conceitual, já sinaliza oportunidade de crescimento das curvas de produção da Bacia de Campos.

Quando entrar em atividade em 2012, as jazidas do Papa Terra estarão produzindo 150 mil barris/dia de óleo, numa estimativa inicial de 21 poços. O Campo faz parte do bloco BC-20, do chamado BID Zero, ou seja, daqueles que precederam o processo das Rodadas de Licitação da ANP.

TLWP operando com FPSO

Localizado na área sul da Bacia de Campos, em frente à região de Cabo Frio, o Papa Terra representa um marco para a Petrobras. É a perspectiva de uma expressiva reversão do declínio de produção da UN-BC, abrindo caminho para o desenvolvimento de um novo pólo de produção, incluindo os Campos de Maromba, Xerelete, Carataí e Carapicu. Ou seja, a UN-BC tem novamente oportunidade de crescimento das curvas de produção de óleo, baseando sua estratégia no desenvolvimento do Pólo Sul e na revitalização dos campos maduros.

O Projeto é operado pela Petrobras, que detém 62,5% da concessão, adquirida em consórcio com a Chevron Brasil Petróleo, que participa com 37,5% dos investimentos. Nele será implantada, pela primeira vez no Brasil, a tecnologia TLWP para as unidades flutuantes. Isso porque o campo está em lâmina de água profunda, inviabilizando a instalação de plataformas do tipo “jaquetas convencionais”.

Tension-Leg Wellhead Platform

É bem verdade que a Petrobras tem utilizado, nestes casos, as unidades flutuantes (semi-submersíveis ou FPSO). Entretanto, frente às características do óleo pesado deste campo (15º API) e das condições de temperatura a que estará sujeito o fluxo de óleo produzido em águas profundas (1.200 m), os sistemas submarinos, como as árvores de natal molhadas em completações submarinas, característicos dos sistemas flutuantes, não são a melhor estratégia de produção para o Papa Terra. Com a proposta de instalação de uma TLWP com completação seca e sonda dedicada nela instalada, as intervenções nos poços poderão ser quase imediatas e minimizarão as perdas de produção.

Plataforma TLWP reduz custos no projeto

A estrutura deste tipo de plataforma é bastante semelhante à de uma semi-submersível, diferenciando-se apenas pelo sistema de ancoragem no fundo do mar. As TLWPs são ancoradas por estruturas tubulares, os chamados tendões, que, tensionando a estrutura da plataforma, reduzem significativamente seus movimentos, o que torna possível a utilização de completação seca dos poços, eliminando assim o uso de linhas flexíveis, barcos de lançamento e necessidade do uso de sondas semi-submersíveis para operações de workover, todos itens atualmente críticos, reduzindo assim investimentos e custos de operação.

O novo conceito, além de viabilizar a economia direta com custos reduzidos em intervenções em poços com sua própria sonda, provê melhores condições para o gerenciamento do potencial de produção do reservatório, uma vez que, no futuro, após anos de exploração de óleo, a sonda dedicada torna-se essencial para desvios ou perfurações de novos poços, propiciando melhores resultados no gerenciamento do reservatório e fator de recuperação. A disponibilização da sonda na unidade de produção facilita as intervenções para manutenção do poço, reduzindo, conseqüentemente, os custos operacionais do projeto.

Tecnologia que traz facilidades para perfurar novos poços

O uso de TLWPabre perspectivas para incorporação e domínio de projetos deste tipo de unidade na Bacia de Campos, trazendo também novas possibilidades para o desenvolvimento da produção em outros campos de petróleo com características semelhantes às do Papa Terra.
Enquanto a equipe de especialistas do projeto se dedica à formatação das unidades de produção para o Papa Terra, o mercado pode fazer suas estimativas. Perguntas como: Que tipos de equipamentos, materiais e serviços serão requeridos para o projeto? Quais os itens críticos inerentes ao Projeto? Como estão os processos de contratação? São perguntas ainda sem resposta oficial. Mas, uma coisa é certa: vem muita demanda pela frente!

Óleo pesado

As características do óleo do Papa Terra, 15 (API) e 50 a 70 cp, definiram a utilização do sistema de BCS – Bombas Centrífugas Submersas, com grande capacidade. Neste caso, as BCS serão instaladas no fundo do poço, a 2.400 metros de profundidade em relação à lâmina d´água.

Com as informaçoes – Macaé Offshore

Por Rodrigo Cintra

1 COMENTÁRIO

  1. Olá Rodrigo. Tudo bem? Sou Técnico de Operação de Petróleo e fiquei interessado em conhecer mais este projeto e empreendimento. Trabalho na Petrobrás, no campo de Marlim, tb, na Bacia de Campos. Agradeço pela atenção, Helio CORDEIRO Mondzelewski

Deixe uma resposta