Máquinas, Náutica e o DP

3

Quando uma embarcação possui o Sistema de Posicionamento Dinâmico, muitas pessoas pensam que só ter um DPO, Oficial de Náutica, no console é o suficiente; porém, existem inúmeros procedimentos que são interligados e necessitam de um total monitoramento e comprometimento não só por parte do Passadiço, mas também para quem está na Praça de Máquinas.

A falta de um “DP background” pode ser complicar a operação e comprometer o posicionamento.

Os principais problemas ocorridos atualmente estão sendo atribuídos ao  Sistema DP, ao gerenciamento de energia ou à capacidade do operador. Eficiência máxima, e “downtime” mínimo serão alcançados se considerados somente esses fatores simultaneamente. O Centro de Controle de Máquinas deve que estar sempre guarnecido. No DP sempre deve ter alguém monitorando. Essas duas práticas, têm que ser obrigatórias.

Um exemplo que é bem comum nas operações:  após ser observado uma nuvem pesada vindo, o operador de DP notifica a Máquina, e a pessoa na Máquina fica de “prontidão” para colocar mais um gerador no barramento, pois ambos sabem que o vento pode aumentar de forma brusca e rápida, e aí decidem colocar mais um gerador no barramento só “para garantir”.

Esse exemplo é apenas um exemplo simples, mas traduz e deixa claro a responsabilidade de todos no Posicionamento Dinâmico. E se a Praça de Máquinas estivesse desguarnecida? O vento aumenta, não há geradores suficientes, e ocorre o Black-out… em minutos.

Eu mesmo já tive problemas neste aspecto, e acredito que a mudança de cobrança de procedimentos e o profissionalismo sejam o suficiente para evitar que acidentes / incidentes aconteçam.

Por Felipe Marques

3 COMENTÁRIOS

  1. A atenção é total mesmo.
    Em navio de Lançamento de Linhas e ROV então…
    Entrou na zona dos 500 metros, atenção total, CCM guarnecido, check list…
    Caso haja um pico de carga e os geradores não segurem, pode ter certeza que o próprio sistema supervisório vai se encarregar de colocar o outro no barramento, a não ser que este esteja comproblema. Mesmoassim, é melhor mesmo já estar com os geradores conctados antes dos picos de carga, pois evita as indesejáveis surpresas.

  2. “acredito que a mudança de cobrança de procedimentos e o profissionalismo sejam o suficiente para evitar que acidentes / incidentes aconteçam”.

    Isso ajuda muito, mas não é o suficiente e não cessa o risco! O treinamento, e a mudança de cultura organizacional tanto dos empregados quanto dos empregadores é fundamental para que não aconteçam tais acidentes e incidentes indesejados. Tudo começa pela alta gerência, com uma politica de segurança séria e, depois, culmina na mudança de cultura e postura dos trabalhadores.

  3. Isso ocorreu em um navio que eu estive, o pessoal da praça de máquinas fez uma manobra errada nos disjuntores dos geradores que alimentavam os propulsores laterais da proa que não queriam funcionar.Ficamos procurando várias causas possíveis e nunca imaginávamos que tinha sido erro dos operadores.

Deixe uma resposta