Petróleo e Gás desperta pouco interesse em São Paulo

0
392

O interesse dos empresários da região em participar da cadeia produtiva de petróleo e gás e indústria naval, vinculada à Petrobras, está baixo. Ontem, das mais de 44 mil empresas do Grande ABC, cerca de 80 representantes de companhias participaram do Seminário Mobilização de fornecedores para expansão da cadeia produtiva de petróleo e gás: programas de apoio financeiro e investimentos da Petrobras na região Nordeste.

O Secretário Executivo do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, Luis Paulo Bresciani, opinou que um dos motivos que podem ter espantado o empresariado é a falta de conhecimento sobre se o portfólio das empresas atende a demanda da estatal.

Outro fator apresentado por Bresciani foi o alto nível de exigências da Petrobras para seus fornecedores. “Não são aceitas falhas em peças que vão fazer parte das implantações da Petrobras. Imagine peças que estão a centenas de metros de profundidade no mar; elas não podem dar defeito. Portanto, as exigências são enormes”, disse.

O Gerente de Relacionamento Industrial de Abastecimento da Petrobras, Michel Fabianski Campos, destacou o grau de exigências da estatal. “Em primeiro lugar fica a indústria aéro-nuclear. E a cadeia de petróleo e gás é a segunda em restrições e exigências. No entanto, se os fornecedores estiverem atendendo a esses requisitos, poderão fornecer para muitos outros setores”, explicou.

Campos apresentou, ontem, no Teatro Clara Nunes em Diadema, os próximos passos da Petrobras, que tem plano de investimento de US$ 224,7 bilhões em cinco anos. Ele, junto a outros executivos da estatal, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e da Caixa Econômica Federal, ministraram palestras mostrando ao grupo de empresários que é possível se tornar fornecedor da Petrobras por meio de ferramentas de fomento e financeiras.

CADASTRO

O principal instrumento para se tornar fornecedor é estar cadastrado no banco de dados da Petrobras, por meio do site http://cadastro.petrobras.com.br. A estatal atenderá os empresários da região, hoje e amanhã, mediante agendamento, para mais detalhes sobre o cadastro no Consórcio, na Avenida Ramiro Colleoni, 5, Centro, em Santo André.

Mesmo quem não sabe se sua produção, ou serviço oferecido, atende à demanda da Petrobras, pode realizar o pré-cadastro. Após entrar com os dados básicos da empresa no site, o empreendedor deve procurar se sua oferta se enquadra em algum item da lista do que a estatal necessita. “Se você não encontrar o seu produto, ou serviço, neste grupo, não será possível realizar o cadastro”, explicou o representante de cadastramento da Petrobras Eliel Costa Júnior.

Quem atender à demanda deverá seguir, passo a passo, as exigências da Petrobras dispostas no site, enviando documentos comprobatórios eletronicamente. E com o cadastramento concluído, a empresa receberá um Certificado de Registro e Classificação Cadastral, e pertencerá ao banco de dados da Petrobras de fornecedores aprovados para participar das cotações e licitações.

Demanda da estatal é para o Nordeste 

Os executivos da Petrobras vieram ao Grande ABC com o objetivo de estimular os empresários da região a integrar a carteira de fornecedores da estatal. E, no primeiro plano da discussão promovida em Diadema, estava a demanda das refinarias em construção no Nordeste.

A Premium 1, no Maranhão, será a quinta maior refinaria do mundo. E tem previsão de entrega, da primeira etapa, em dezembro de 2016. As outras são a Premium 2, no Ceará, e a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Dentre os 7.000 fornecedores da Petrobras, hoje, o último balanço divulgado pela empresa ao Consórcio Intermunicipal do Grande ABC é de que 130 são da região, contou o secretário executivo do órgão, Luis Paulo Bresciani.

Apesar do baixo número de empresários no evento de ontem, Bresciani acredita que entre 10% e 20% das cerca de 6.300 indústrias da região têm potencial de se tornarem fornecedores da Petrobras.

Com as informações – Diário do Grande ABC

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta