Rachadura já custa à Vale mais de US$ 112 milhões

0
420

O incidente com o supercargueiro Vale Beijing fez com que a Vale deixasse de embarcar cerca de US$ 112,5 milhões, segundo cálculo da corretora Concórdia. A embarcação apresentou rachaduras no casco durante um carregamento de 380 mil t de minério de ferro no píer I do Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, no Maranhão.

No período em que o píer ficou inoperante, a empresa deixou de comercializar 750 mil t de minério de ferro, de acordo com fato relevante divulgado pela Vale. O cálculo foi realizado por base em um preço de US$ 150 por t do produto, já que a companhia tem comercializado entre US$ 130 e US$ 168 a t neste trimestre.

O navio Vale Beijing, em sua primeira viagem após ser entregue pelo estaleiro sul-coreano STX Pan Ocean, apresentou rachaduras nos dois lados do casco. A mineradora informou que ainda busca entender o que ocorreu no Maranhão.

A embarcação iria carregar aproximadamente 380 mil t de minério de ferro, mas a operação foi interrompida quando haviam sido colocados no navio cerca de 260 mil t. O supercargueiro foi removido para outro local no porto de Ponta da Madeira, em São Luís, para avaliação e eventual reparo.

Com as informações – Terra

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta