Normas técnicas devem ser revistas após acidente com Vale Beijing

0
411

O problema com o supercargueiro Vale Beijing, que corre o risco de afundar no litoral do Maranhão, deverá servir de ponto de partida para revisão das normas técnicas de construção de grandes embarcações. É o que afirma Luiz Alberto de Mattos, Diretor da classificadora de risco de embarcações brasileira RBNA. Segundo ele, assim como na aviação, a cada acidente, normas técnicas são revistas para aumentar a segurança.

O fato de o Vale Beijing pertencer a uma nova classe de embarcações, de tamanho inédito, com capacidade para transportar até 400 mil toneladas de minério de ferro, só aumenta o impacto que as conclusões dos estudos sobre o problema em seu casco poderão ter.

Até o momento, nem a Vale, que encomendou o navio e o afretou por 25 anos, nem o construtor, o estaleiro sul coreano STX, têm ideia do que aconteceu com o Vale Beijing. O que se sabe até o momento é que o navio apresentou rachaduras em seu casco quando estava sendo carregado com minério de ferro no Porto de Ponta da Madeira, em São Luís (MA), no início do mês. Para a próxima semana é esperada a chegada de um escâner submarino que seria capaz de identificar a dimensão e a localização exata da rachadura.

Leia esta matéria na íntegra aqui.

Com as informações – Dubes Sônego e Yan Boechat / iG

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta