Petróleo vaza de plataforma da Modec e já atinge a costa de Angra dos Reis

1
524

O Inea (Instituto Estadual do Ambiente) confirmou na manhã de sábado (17), o vazamento de óleo combustível de um navio petroleiro da empresa americana e japonesa Modec, na noite de sexta-feira, entre a Ilha Grande e Paraty. Segundo o Instituto, o vazamento está estimado em 10 mil litros.

A empresa confirmou o acidente e informou que a embarcação, que chegou recentemente da China, e está ancorada próximo à Angra dos Reis, passará por reparos no Estaleiro Brasfels e será modificada para ser uma plataforma de petróleo.

A empresa Modec, proprietária do navio-plataforma FPSO Cidade de São Paulo, recebeu ainda no sábado, uma multa de R$ 10 milhões do Inea.

A presidente do Inea, Marilene Ramos, informou que o vazamento provocado pela Modec, que faz trabalho de manutenção na Bacia de Campos, já estava controlado.

Equipes de emergência do Inea sobrevoaram, na manhã de sábado, o local do acidente e constataram que o diesel está diluído e não tem mais condições de ser recolhido, e por isso será realizada a dispersão mecânica, com a utilização de jatos de água.

O Sopea (Serviço de Operações de Emergência) do Inea recebeu a informação sobre o acidente, que teria sido provocado por falha humana, na sexta-feira. O navio estava se dirigindo ao estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis, para manutenção. A Superintendência Regional da Baía de Ilha Grande e o Ibama foram acionados, mas as condições climáticas impediram o início do trabalho previsto no plano de contingência.

O Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea) divulgou neste domingo que parte do óleo que vazou do navio Cidade de São Paulo na última sexta-feira atingiu a praia do Bomfim, em Angra dos Reis. Após dois sobrevoos de helicóptero realizados hoje pela baía de Ilha Grande, no litoral sul fluminense, a presidente do Inea, Marilene Ramos, e o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, constataram que ainda existiam duas pequenas manchas de óleo no mar provenientes do vazamento.

Uma equipe do Inea especializada em acidentes foi deslocada à praia do Bomfim para evitar danos maiores ao meio ambiente. Ao descer do helicóptero do governo estadual, Minc afirmou que a Modec Serviços de Petróleo do Brasil, dona do navio de onde vazaram cerca de 10 mil litros de óleo na última sexta-feira, “foi instada” a limpar imediatamente as áreas de praia e costão atingidos pelo óleo em Angra dos Reis.

Segundo Minc, o fato de parte do óleo derramado ter atingido uma praia de Angra deverá “repercutir” no valor da multa a ser aplicada à empresa e no cálculo do dano ambiental causado na região – que deverá subsidiar eventual ação indenizatória contra a empresa. Ontem, o Inea havia estimado o valor inicial da multa em R$ 10 milhões. O Inea aguarda o relatório da Capitania dos Portos sobre as causas do acidente e o volume vazado para definir o valor final da multa.

Com as informações – Diário do Vale / Terra

Por Rodrigo Cintra

1 COMMENT

  1. Trabalho a mais de 18 anos na área de offshore, no comando de embarcações nunca vi tanto derramamento de óleo, depois de chegarem ao Brasil empresas terceirizadas. O governo Brasileiro tem que tomar medidas punitivas as empresas que cometem este tipo de crime ambiental, não dexando as mesmas perfurarem depois de qualquer vazamento.

Deixe uma resposta