Petrobras incorpora Petroquisa e investimentos podem passar dos US$ 5 bilhões

0
353

A reestruturação societária divulgada na semana passada pela Petrobras é apenas uma das medidas para se posicionar na primeira e segunda gerações da petroquímica. A meta da empresa é investir, até 2015, US$ 5,4 bilhões. O valor está previsto no plano de negócios 2011-2015, cuja previsão de investimentos é de US$ 224,7 bilhões.

O foco dos aportes nesses próximos anos é de aumento de capacidade instalada, pois já foram feitas várias operações de ampliação do parque petroquímico brasileiro, inclusive com a concentração em uma empresa só, a Braskem, cujo capital é dividido com a Odebrecht.

Dentre os projetos, 2012 deve ser marcado pelo aumento da atividade em PVC. Já em outros produtos a perspectiva fica de mais longo prazo. O primeiro deles será a Petroquímica Suape e há ainda o projeto do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). A primeira etapa do segundo projeto já está sendo feita, uma primeira refinaria, para produção de 165 mil barris/dia de derivados.

Hoje 30% da obra estão prontos. No local, será feito o quarto polo petroquímico do Brasil, com intenção de que a construção seja iniciada até 2014. Este polo terá como matéria-prima dois produtos: nafta e gás natural. Com isso, haverá um cracker, que produzirá as poliolefinas. Haverá uma fábrica de polietileno (PE), polipropileno (PP), PVC, dentre outros materiais, dos quais alguns serão feitos com a Braskem. A participação da Braskem no Comperj para a construção do cracker, bem como a fábrica de PE, PP e PVC foram aprovada em conselho.

Na Petroquímica Suape, liderado pela Petrobras Química (Petroquisa), que será incorporada à Petrobras, o projeto deve ser concluído em 2012. “A Petrobras tinha saído da petroquímica e não vejo mudança de estratégia no curto prazo”, afirmou Otávio Carvalho, sócio da Maxiquim. Segundo ele, apesar de a estatal ter quase metade das ações com direito a voto da Braskem, a Petrobras se manterá no segmento.

Na sexta, a Petrobras cancelou o processo de licitação para a contratação de serviços e afretamento de 21 sondas de perfuração marítima.

Com as informações – DCI

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta