Vale Beijing será reparado na Turquia

3
450

Uma comissão de deputados estaduais maranhenses visitaram o supergraneleiro avariado, Vale Beijing, que está fundeado na costa do Maranhão desde o inicio de dezembro, quando foram detectadas rachaduras em um de seus tanques de lastro enquanto era carregado com minério de ferro no Terminal Portuário de Ponta da Madeira (TPPM), que é operado pela mineradora Vale .

Durante a visita, os técnicos da empresa  holandesa de salvatagem marítima, Smit, informaram que há duas rachaduras medindo 60 centímetros por 10 centímetros, monitoradas em tempo real por equipamentos instalados ao longo do navio, e que os reparos na embarcação podem levar de três meses a uma ano para ficar prontos. Os técnicos do armador sul-coreano que é dono do navio, a STX Pan Ocean, também disseram que a intenção é fazer reparos de emergência no Vale Beijing, para que seja possível leva-lo para a Turquia, onde ele passaria por reparos definitivos.

O grupo de deputados estaduais sobrevoou, de helicóptero, a região onde o navio está em companhia do Capitão dos Portos do Maranhão, Nelson Calmon Bahia, e de um representante do armador sul-coreano dono do navio. Depois do sobrevoo, a aeronave pousou na embarcação e o grupo pôde acompanhar parte de operação de retirada de parte das 5 mil toneladas de óleo diesel e óleo bunker que estavam nos tanques de combustível do supergraneleiro.

Segundo Bahia, cerca de 1,5 mil toneladas já foram bombeadas para o navio tanque Sea Emperor, que presta serviço para Petrobrás, abastecendo outros navios de derivados de petróleo sem a necessidade de atracar em um dos três portos que compõem o Complexo Portuário de São Luís.

O Capitão dos Portos disse ainda que a embarcação correu sério risco de naufragar nos três dias em que permaneceu atracado ao cais do Terminal Portuário de Ponta da Madeira. “Devido às características da costa maranhense e pelas marés de sizígia (de Lua), por incrível que pareça, é mais seguro realizar estas operações onde hoje ele está fundeado do que no Porto, onde a embarcação poderia naufragar, Aí, sim, poderia ocorrer um desastre ecológico”, comentou.

Com as informações – Agência Estado

Nota do Editor – Fico me perguntando o que deputados foram fazer a bordo, mas tudo bem. Coisas do Brasil.

Por Rodrigo Cintra

3 COMMENTS

  1. Reposta para a pergunta do editor: Os nobres deputados foram matar a curiosidade com o nosso rico dinheirinho dos impostos. Coisas do Brasil mesmo.

  2. acho que deputado não são qualificado no assunto mais podem sim por meio de seu mandato criar leis para a melhoria das fiscalizações para que este tipo de acidente não venha a se repetir pois cade os órgãos de fiscalização que deixaram esta embarcação entrar no pais como varias outras sem a devida fiscalização , pois ta na cara que o projeto desta embarcação tem sérios erros . órgãos como marinha do brasil CREA e outros.

  3. Me veio a cabeça a pergunta “que diabos os deputados faziam no local?”
    Eles irão resover o quê? sobrevoar o local pra quê?

Deixe uma resposta