Chapeador morre em acidente no Estaleiro Mauá

13
711

Chapa de aproximadamente 40 toneladas teria se desprendido durante solda. Outro trabalhador teve ferimentos graves e foi internado no Hospital Estadual Azevedo Lima.

O chapeador Ricardo Silva dos Santos, de 42 anos, morreu neste sábado no Estaleiro Mauá, na Ponta da Areia, após ser imprensado por uma chapa de metal de aproximadamente 40 toneladas. Um outro operário também ficou gravemente ferido e está internado no Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca.

De acordo com funcionários da empresa, a chapa de metal despencou e atingiu os dois soldadores. Eles relataram que Ricardo morreu ainda no local e o outro operário sofreu um ferimento na perna. Por conta do episódio, a direção do estaleiro teria dispensado os funcionários. 

Um soldador, que não quis se identificar, declarou que acidentes ocorrem constantemente no local.

 “Nós trabalhamos aqui e sofremos muito com a falta de segurança. Toda vez que acontece algum acidente, eles (a direção) querem abafar. Eu espero que depois de tudo isso a direção reveja os itens de segurança. Afinal eles estão lidando com a vida de muitas pessoas”, declarou.

O Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Reginaldo Costa, confirmou a constância de acidentes nos estaleiros e pediu rigor nas investigações.

“Infelizmente esse não é o primeiro episódio que envolve mortes em estaleiros. Por isso que nós cobramos mais segurança nas edificações. Eu espero que os órgãos competentes investiguem esse acidente. Estamos de luto!”, afirmou.

O caso foi registrado na 76ª DP (Centro). A assessoria de imprensa e a direção do Estaleiro Mauá não foram localizadas para comentar o caso.

Com as informações – Lislane Rottas / O Fluminense

Por Rodrigo Cintra

13 COMMENTS

  1. A ADMINISTRAÇÃO DO Sr° MANOEL RIBEIRO ( MANELÃO ) É MARCADA PELA FALTA DE INVESTIMENTO EM SEGURANÇA E PÉSSIMAS CONDIÇÕES DE TRABALHO. TODO ESTALEIRO QUE ESTE SENHOR ADMINISTRA É ASSIM, MAS ELE É CONSIDERADO O BAM,BAM BAM DO SETOR NAVAL PELOS EMPRESÁRIOS ,E O QUE NÓS VEMOS INFELIZMENTE É ISSO, TRABALHADORES SE ACIDENTANDO E NO PIOR PERDENDO SUAS VIDAS . QUANDO DEVERIA ESTAR LEVANDO O PÃO DE CADA DIA PARA SEUS FAMILIARES, O QUE SE RECEBE COMO RECOMPENSA PELO SEU DIA DE TRABALHO , É A COMUNICAÇÃO AOS SEUS FAMILIARES DA MORTE DO TRABALHADOR ,POR PURA FALTA DE COMPROMISSO DOS PATRÕES EM INVESTIR EM SEGURANÇA.
    ATÉ ONDE ISSO VAI ?
    E A DIREÇÃO DO SINDICATO É TOTALMENTE OMISSA, E ATÉ CONIVENTE COM ISSO ,POIS SE É CONSTANTE OS ACIDENTES , POR QUE NÃO ENVOLVERAM AS AUTORIDADES COMPETENTES PARA SOLUCIONAR ESSA SITUAÇÃO?

  2. Quem são as tais”autoridades competentes”. Elas existem nos lançamentos,cobranças de prazos,divisão dos lucros,politicágens diversas,… .No dia a dia, a coisa segura, corre a margem de tudo que for possível e imaginável para que não pare um segundo sequer.Muita gente se engana,finge que não ve,falsifica documentos,(certificados de cursos nr-10,33 e tantos outros).Infelizmente,volta e meia a coisa alcança dimensões de fatalidade e perde o controle de abafa.Nao se trata de somente um estaleiro,ou maneis ou toninhos.Há falta total de responsábilidade.NOSSA.Vergonhosamente nossa.

  3. Poiis é. Concordo com a resposta do Antonio Santana.Se houvessem mais segurança para o trabalhador,muitas coisas poderiam ser evitadas.Vamos ver como vai ficar esse acidente…

  4. Infelizmente a situação é um pouco mais complexa.

    Se por um lado faltam investimentos do lado do patrão, por outro, os trabalhadores também não dão muita atenção para sua própria segurança, salvo raras exceções.

    Já estive em várias docagens tanto no Mauá como em outros estaleiros, é uma dor de cabeça constante… Pessoal trabalhando sem EPI, entrando embaixo de carga suspensa, usando maçarico sem extintor por perto e sem se preocupar com o que tem do outro lado ou embaixo do local do trabalho, entre muitas outras coisas.

    E o pior, é que quando você vai lá e para o trabalho, pedindo para que as medidas de segurança sejam adotadas e os EPIs usados, os próprios trabalhadores te olham de cara feia, colocam o EPI, mas é só você sair que eles voltam a fazer tudo sem segurança de novo.

    Será que a maioria não percebe que nós somo os maiores interessados em manter nossa segurança e integridade física?

    • Vc é um imaturo em falar isso, os trabalhadores são oprimidos a realizar tais atitudes pelos encarregados abusão pois sabem que os mesmo precisão do trabalho e estimulam a realizar tais coisas ninguem gosta de trabalhar com insegurança. Preste atenção no que fala!!!

  5. Eu concordo com todos esses comentários é muita falta de segurança , sou funcionario é sei bem como é esse estaleiro é uma bomba relógio todo dia acontece acidêntes pequenos e não sendo evitados resulta em algo maior pois o Maúa eguinora esses pequenos fatos não têm segurança é arriscar d+ com a vida dos trabalhadores.

  6. O fato é: minha experiência embarcado e em docagens em estaleiros é que muito se fala em Segurança, muito se cobra, as multas são enormes e os gastos com a implementação das políticas e procedimentos de seguranças são altos mas no final, quando você pede para o colaborador usar o EPI ou quando você o aconselha ou adverte para que evite atitudes inseguras ou a criação de condições inseguras, o colega acha ruim.
    Não digo que esse foi o caso, longe de mim fazer o papel de “advogado do Diabo” aqui, mas essa é a realidade.
    A coisa é uma via de mão dupla: as empresas fornecem os EPIs e implementam os procedimentos e os empregados devem usar o EPI (o fornecido) e seguir os procedimentos.
    Tem empresa que não fornece EPI, que não divulga os procedimentos e tem empregado que negligencia isso tudo.
    Falemos a realidade, pessoal!

  7. Oi meu nome e Marciana. meu marido trabalha a oito anos no estaleiro Maua e ele sempre fala que a falta de segurança e muita não tem equipamentos de segurança so para voces terem uma ideia aonde ja se viu o tecnico de segurança do trabalho estuda quase dois anos e nãopode eserce teus conhercimentos. dentro to estaleiro maua porque eles não tem pode para para o trabalho porque eles são mandados embora na primeira oprortunidade e aida mais eu fiquei sabendo que ele mandão bastante tecnicos embora agora o ministerio do trabalho. a petrobas tem que investigar com bastante cautela. eque esta perda não seja em vão porque eu tambe não quero ficar viuva por botan pessoas sem capacidade para ser gerente dum estaleiro tão conceituado igual ão estaleiro maua e tem que botar todos os funcionarios para fazer espaço confinado porque a maioria não tem este curso e são obrigado a trabalha nestes locais por falta de conhesimentos de todas as NR Necesarias para o seu dia a dia de trabalho com segurança em primeiro lugar ates de Quasquer atividade.

  8. ARBITRARIEDADE X JULGAMENTO = DE QUEM E A CULPA nos trabalhadores metalurgicos mais velhos de profissão podemos falar de cadeira e ate enumerar tantas perdas de vidas de amigos, soldadores, chapeadores , pintores e outros prafissionais . ao longo de anos nas construções navais. porem digo com conhecimento de causa presenciei muitos desses acidentes e em nenhum desses tive a oportunidade de livrar da fatalidade aquele companheiro( amigo ) e isso e muito triste salvo muitos avisos. chega de ARBITRARIEDADE chega de JULGAMENTOS. se Deus não guardar a casa em vão trabalham aqueles que á edificam.

  9. nao e so no maua que o trabalho dos profissionais da área naval corre muitos riscos para quem conhece a politica de trabalho da atual administraçao sabe que no eisa e a mesma coisa descaso com a segurança e so no vamos que vamos.

  10. Aconteceu esse e acontecera outros pois nao temos direito de fazer a nossa segurança pois eles querm tudo do jeito deles ja trabalhei la e sei o q estou falando;quem manda e a diretoria do estaleiro maua eles querem tudo o mais rapido possivel.

  11. Concordo com todas as respostas, mas ainda tem pessoas que só falam em EPI, o EPI não evita acidentes o que evita a cidentes é a prevenção e essa atitude se não partir de cima (Gerência; Supervisores, Encarregados …) nunca vamos ter um trabalho seguro. O que precisamos é de profissionais qualificados que dê importância não só para produção, mas para segurança também. Eu nunca vi um gerente falar que vai comprar um guindaste pq é mais seguro, um Supervisor cobrar do encarregado que cobre de sua equipe mais segurança e um encarregado que no seu diálogo diário de segurança fale que se ver alguém não cumprindo os procedimentos de segurança vai mandar embora.
    E mais minha gente a fiscalização do MTE só vai nas áreas de obra BR quando há uma denúcia ou quando há uma fatalidade como ocorreu no Mauá. Eu como TST fico revoltado com tanto descaso.

  12. Por onde Sr.. Manelão passa estraga tudo !! em 3 anos trabalhando no Eisa com um sub salario ..na época nem segurança do trabalho existia lá ..Vi quase 10 mortes lá dentro e milhares de acidentes como andaime etc…Deixou o Eisa no comando de familiar ..foi pro Maúa q era o melhor estaleiro de Niterói e estragou tudo tbm ..Sindicato do rio tem escritório dentro do estaleiro Eisa .. nada faz pelos funcionários..
    Observei tbm q depois q ele veio pra Niterói, muitas firmas alem do Maúa aderiram a sua ditadura ..Ao meu ver num esquema cartel..reduzindo salario de todo mundo colocando tudo igual e unificando com sindicato do rio ..

Deixe uma resposta