Cosco Busan – Prático envolvido no acidente quer navegar

1
440

O Prático considerado responsável pelo acidente e conseqüente derramamento de óleo do navio Cosco Busan está solicitando a recuperação de sua licença marítima para poder voltar ao mar.

Depois de conduzir o navio que colidiu com a ponte da Baía de São Francisco e ter causado um derramamento maciço de combustível, o advogado do Prático John Cota, de 64 anos, afirma que seu cliente quer trabalhar como capitão de rebocador.

Recentemente a Guarda Costeira negou-lhe um apelo anterior de reintegração de sua licença em fevereiro. Cota e seus advogados estão agora trabalhando outras opções, incluindo um processo judicial, para recuperar sua licença para navegar comercialmente na baía.

John Cota pilotava o navio Cosco Busan em meio a uma forte neblina no dia 7 de novembro de 2007, quando ele “raspou” lateralmente em uma torre da ponte San Francisco-Oakland. Mais de 189.000 litros de óleo vazaram na Baía de São Francisco, contaminando 26 milhas da costa. Ele se declarou culpado de duas acusações por descarregar ilegalmente óleo na baía e por matar milhares de aves. Ele foi sentenciado a 10 meses de prisão em julho de 2009.

Funcionários do setor de transporte e ambientalistas abertamente concordaram com a decisão da Guarda Costeira de negar a renovação da licença de Cota, que expirou em 2010, depois de a Guarda Costeira colocá-la sob uma forma de suspensão.

Durante o processo 6 integrantes da tripulação, chineses, aguardaram julgamento sem poderem sair dos Estados Unidos por mais de um ano. Isto por serem considerados peças cruciais ao processo, afirmou o representante da promotoria.

Por Sidney Oliveira Jr

1 COMMENT

Deixe uma resposta