Comandante da Transpetro fala sobre a travessia do Estreito de Magalhães

0
796

img_2395

Comandante do Suezmax Henrique Dias, da Transpetro, o CLC Luciano Pimentel descreve a travessia do Estreito de Magalhães de maneira única e o Portal Marítimo aproveita para dar ampla divulgação ao texto e belíssimas fotos.

Resolvi priorizar a exibição de uma espécie de síntese de fotos da navegação pelo Estreito de Magalhães, para não ficar meio chato e monótono.

Navegação que exige muita atenção, pois qualquer descuido pode ser catastrófico
Navegação que exige muita atenção, pois qualquer descuido pode ser catastrófico – Foto: Luciano Pimentel
As paisagens dando um espetáculo à parte - Foto: Luciano Pimentel
As paisagens dando um espetáculo à parte – Foto: Luciano Pimentel

A duração de navegação pelo Estreito, no sentido E-W (Leste – Oeste) até encontrar o Pacífico é de cerca de 30 horas, levando-se em conta que o navio estava bem pesado, carregado com cerca de 1.000.000 de barris de Petróleo e com calado de cerca de 16,50 metros. Para uma noção, equivale mais ou menos a 157.000 toneladas (cento e cinquenta e sete mil toneladas).

NT Henrique Dias no Estreito de Magalhães
NT Henrique Dias no Estreito de Magalhães – Foto:Luciano Pimentel
Alguns visitantes no convés do Henrique Dias - Foto: Luciano Pimentel
Alguns visitantes no convés do Henrique Dias – Foto: Luciano Pimentel
Visibilidade Zero - Algo comum na travessia - Foto: Luciano Pimentel
Visibilidade Zero – Algo comum na travessia – Foto: Luciano Pimentel
A Natureza sempre presenteando a todos com belas imagens - Foto: Luciano Pimentel
A Natureza sempre presenteando a todos com belas imagens – Foto: Luciano Pimentel

Quero registrar aqui a grande honra como navegador e capitão de navio, ter tido a chance de cruzar este estreito tão importante na História da Navegação. Agradeço a Deus pela oportunidade.

Fernão de Magalhães - Navegador português que fez a primeira viagem de circunavegação. a viagem durou de 1519 a 1522
Fernão de Magalhães – Navegador português que fez a primeira viagem de circunavegação. a viagem durou de 1519 a 1522

A trágica e heroica viagem de Fernão de Magalhães, navegador português a serviço dos Reis católicos da Espanha, o primeiro homem a fazer a circunavegação no globo, foi desses feitos que transformam um homem comum, em um homem universal.

Mapa antigo do Estreito de Magalhães

A expedição saiu da Espanha no ano de 1519 com cerca de 260 homens e cinco naus, para retornar apenas em 1522 com cerca de 20 almas vivas em apenas uma nau, capitaneada pelo “Juan Sebastián Elcano”, por ironia, um dos líderes negativos ao longo de toda a aventura, chegando a ser incitador de motins ao longo da interminável travessia, segundo relato de viagem do Antônio “Pigafetta”, italiano que relatou a viagem e foi um dos que conseguiu retornar.

Juan Sebastián Elcano - líder dos amotinados - Óleo de Ignacio Zuloaga
Juan Sebastián Elcano – líder dos amotinados – Óleo de Ignacio Zuloaga

Foi uma viagem trágica em todos os sentidos: Motins, punições exemplares aos Motineiros, muitas mortes de escorbuto, traições, mortes violentas por desavenças a bordo, morte do seu capitão e idealizador da viagem e por fim, uma aventura marítima que não pagou o investimento feito, inclusive com os marujos que acabaram não recebendo pagamento na chegada.

Fernão de Magalhães, o homem e seu feito - Autor:
Fernão de Magalhães, o homem e seu feito – Autor: Stefan Zweig

O contato que tive com esta história maravilhosa foi através de um livro escrito por Stephan Zweig, judeu austríaco que fugiu de Hitler e terminou morando em Petrópolis, onde veio, juntamente com sua esposa, cometer suicídio por absoluto desgosto com o mundo. Este livro de título “ Fernão de Magalhães, o homem e seu feito”, foi baseado nos relatos do italiano “Pigafeta”, apesar de que, romancista como era o escritor austríaco, alçou voos próprios na narrativa da História. É um belo livro.

DPI
Aviso aos Navegantes – Exercícios da Marinha Real

Uma curiosidade da travessia (…) Aviso aos navegantes, eheh… compartilhando com vocês. O Argentino tendo que engolir o seu orgulho. (…) Em águas platinas, com rumo sul, com destino ao extremo sul do continente. Vejam só o boletim que recebi da Marinha Argentina. Além dos argentinos terem que suportar a “Royal Navy” e o domínio britânico das “Falklands”, por uma questão de segurança da navegação para que os navios mercantes possam efetuar seu DPI, ainda tem que transmitir o boletim dos exercícios militares da Marinha de Guerra de sua Majestade na região. Não sem demonstrar no texto um certo descontentamento.

DPI: Direito de Passagem Inocente (definição do Direito Marítimo).

Um abraço e até a próxima navegação - Comandante Luciano Pimentel
Um abraço e até a próxima navegação – Comandante Luciano Pimentel

Bom, é isso. Quando finalizei a navegação pelo estreito, estava no Pacífico, mas navegando na direção Norte, pois meus portos de destino ficavam no Norte do Chile. Não tinha como não olhar para Oeste lamentar que o Grande Capitão Fernão de Magalhães, acabou encontrando sua morte em uma daquelas milhares de ilhas minúsculas do Pacífico.

Descanse em paz Capitão! O seu feito é eterno e será lembrado por toda a humanidade até o fim dos tempos.

Por Comandante Luciano Pimentel

1 COMMENT

  1. Parabens ao comandante e toda sua tripulação, tive o prazer de trabalhar na construção desse navio pelo EAS, os atuamos no setor de automação, testes e comissionamento, que bons tempos os conduzam sempre.

  2. Parabéns Cmt Luciano, pela viagem e pelas imagens e também pela difusão de seus conhecimentos sobre a história marítima…

  3. O relato do conte. Pimentel mostra potencial do homem brasileiro, que dec tantas incertezas, em nossa política mostra cada vez mais a necessidade da Transpetro investir no nosso país , e não mandar construir navios de grande calado no exterior, nos brasileiros estamos passando por momentos muito difíceis .

  4. Fernão de Magalhães foi um dos portugueses mal amados pela Pátria lusa… morreu nas Filipinas, vítima da própria soberba e insolência.
    Parabéns ao colega e camarada Luciano Pimentel

  5. Muito bom Cmte LUCIANO.. eu tive o privilegio de fazer essa navegaçao a bordo do FELICIDAD FERRAZ, ANO 1988, naquela epoca nao tinha ainda internet, e nao podia registrar a maravilhosa paisagem do lugar, por isso e importante o uso da tecnologia pra dar a conhecer o que e a nossa vida no mar.. Lembrando a minha epoca fico muito feliz de ter lido a reportagem. Abraços

  6. Parabéns Comandante Pimentel. São pessoas como você que fazem a diferença para a Petrobras, representando os homens de coragem, disciplina, técnica e por que não dizer aventureiros do mundo moderno. Liderez. Felicidade e sucesso hoje é sempre.

  7. Comte Pimentel Navegar no Estreito de Magalhães é privilégio que Deus nos concede já tive este privilégio no Doce coral Docenave.Deus te abençoe e tripulação no comando.

Deixe uma resposta