Jesper Kragh Andersen é o novo CEO da Prosafe

0
866

A Prosafe indicou recentemente Jesper Kragh Andresen como seu novo CEO. Ele era o CEO da Axis Offshore, recentemente comprada pela Prosafe, e já chega agora em Março com a responsabilidade de conduzir a empresa ao lado do Presidente Glen Rødland e do Vice CEO Stig H. Christiansen, que atuou como CEO desde abril de 2016 durante a reestruturação financeira da empresa.

Jesper é Mestre em Direito pela Universidade de Copenhagen e possui um MBA Executivo pela INSEAD (França/Cingapura).

Glen Rødland – Presidente da Prosafe
Stig H. Christiansen foi o CEO da empresa durante a reestruturação

 

 

 

 

 

 

 

A empresa possui a maior frota mundial de embarcações semi submersíveis para acomodação de trabalhadores, os conhecidos “flotéis”.

Para 2017 a empresa mantém seu foco nas operações seguras e renovação gradual de sua frota, buscando a retomada de sua posição no mercado internacional.

Frota

A taxa de ocupação de sua frota ficou em 43%, bem abaixo dos 62% atingidos no ano anterior.

Safe Escandinavia

As unidades estiveram / estão empregadas da seguinte maneira:

  • Safe Boreas – em contrato com a Repsol Sinopec no Reino Unido até 27 de fevereiro.
  • Safe Zephyrus – esteve em contrato com a Aker BP na Noruega de Julho de 2016 até o final de janeiro de 2017.
  • Safe Notos – em contrato cuja duração está prevista para 2 anos e 7 meses coma Petrobras desde 7 de dezembro de 2016.
  • Safe Concordia – segue em contrato com a Petrobras renovando por períodos curtos conforme ajustes de diárias.
  • Safe Escandinavia – em contrato com a Statoil até Julho de 2018.
  • Regalia – esteve em contrato com a Shell no reino Unido de agosto até outubro de 2016.
  • Safe Caledonia, Safe Bristolia, Safe Astoria, Safe Lancia e Safe Regency – em lay up.
  • Safe Eurus – segue em “preserved mode” em acordo com a COSCO, aguardando recuperação do mercado e com previsão de entrega para 2019.
  • Safe Nova e Safe Vega (antigos Axis Nova e Axis Vega) – unidades que foram integradas à frota da Prosafe após a compra da Axis Offshore. As mesmas encontram-se em construção em parceria com a COSCO e a Prosafe busca um acordo com a empresa chinesa para tentar uma solução comercial aceitável em relação ao tempo de construção e condições de entrega. Caso não cheguem a um acordo, a Prosafe tem o direito de rescindir unilateralmente por não cumprimento do prazo de entrega e ainda pedir uma indenização de US$ 60 milhões, garantida pelo Bank of China.
  • Safe Lancia -Em face da construção do Safe Nova e Safe Vega, a empresa decidiu vender esta unidade para corte, sendo ela a quarta unidade a ser cortada desde julho de 2016.

A empresa completou recentemente sua reestruturação financeira, tendo mais de US$ 1 bilhão de dívidas postergadas ou renegociadas, além de ter recebido investimentos de seus acionistas e revisto uma série de políticas internas, o que criou um ambiente interno bem mais eficiente em gestão de custos .

Por Rodrigo Cintra

Deixe uma resposta