ANTAQ premia os melhores do ano de 2017

0

Aconteceu na quinta-feira (9), na sede da Agência, a cerimônia de entrega do Prêmio ANTAQ 2017. O Porto de Paranaguá (PR) ficou com o primeiro lugar na categoria Desempenho Ambiental, na modalidade Maior IDA (Índice de Desempenho Ambiental). Em segundo lugar, apareceu o Porto de Itajaí (SC). Na terceira posição, o Porto de São Sebastião.

Na categoria Desempenho Ambiental, na modalidade Maior Evolução Anual do IDA, o Porto de Santos (SP) ficou em primeiro lugar. Em segundo, o Porto de Santarém (PA). A terceira posição ficou com o Porto de Maceió. Confira abaixo todos os vencedores.

Para o diretor-geral da ANTAQ, Adalberto Tokarski: “O prêmio é fundamental como reconhecimento de trabalhos de excelência realizados nos setores portuário e de navegação. A questão da sustentabilidade é primordial para a Agência. Esse prêmio valoriza aqueles e aquelas que contribuem para uma logística eficiente e, acima de tudo, que vai ao encontro do meio ambiente”.

Mário Povia (E) e Bruno Guimarães: reconhecimento para o Porto de Paranaguá

Tokarski lembrou, ainda, que a ANTAQ, com essa premiação, valoriza a inovação. Ele destacou também as categorias do Prêmio ANTAQ (veja abaixo). Disse que a Agência trabalha cada vez mais para um marco regulatório claro e transparente, para uma redução da burocracia, com o objetivo de atrair investimentos para o setor.

Segundo o diretor da ANTAQ, Mário Povia, o prêmio é a materialização de projetos idealizados anos atrás no âmbito do Planejamento Estratégico da Agência. “A ANTAQ, valendo-se de seu protagonismo setorial, consolida neste momento a instituição do Prêmio ANTAQ, prestigiando iniciativas inovadoras, eficiência e criatividade, bem como estimulando a produção de artigos do setor aquaviário”, destacou.

De acordo com Povia, a Agência volta a destacar a relevância, por meio do IDA, da qualidade da gestão ambiental dos portos organizados, reconhecendo o trabalho daqueles que buscam atuar na melhoria constante de uma matéria tão fundamental para a sociedade brasileira.

Conforme o diretor da ANTAQ, Francisval Mendes, o Prêmio ANTAQ “está vocacionado a encorajar a reflexão da sociedade em torno da importância do modal aquaviário para o desenvolvimento econômico e social do Brasil. E também para identificar contribuições para a melhoria da efetividade das empresas que operam no setor regulado, seja especificamente na dimensão da sustentabilidade ambiental, seja no aperfeiçoamento da adequada prestação de serviços aos usuários, ou ainda fortalecendo mecanismos de gestão das empresas”.

A ANTAQ premiou os destaques do ano

De acordo com Mendes, a realização do Prêmio ANTAQ 2017 trouxe como principal evolução a diversificação das categorias de trabalhos, propiciando a participação de entes regulados não apenas do segmento portuário, mas também da navegação marítima e de apoio e da navegação interior.

Para o superintendente de Desempenho, Desenvolvimento e Sustentabilidade da ANTAQ, Arthur Yamamoto, “em 2017, procuramos ampliar o escopo de premiação, de modo a valorizar e dar visibilidade às diversas ações e iniciativas dignas de reconhecimento junto à sociedade”.

Sobre o IDA, Yamamoto afirmou que “premiamos também aqueles portos públicos que mais evoluíram em sua pontuação ao longo do ano, reconhecendo o esforço empreendido no rumo de sua conformidade ambiental”.

Iniciativas inovadoras: Argonáutica Engenharia e Praticagem de São Paulo

Para a análise e julgamento dos trabalhos inscritos nas categorias Artigo Técnico e Científico (46 trabalhos) e Iniciativas Inovadoras (44 trabalhos), a Agência contou com a colaboração de renomadas autoridades do setor público e privado, conferindo qualidade e credibilidade ao certame.

“Esperamos que o Prêmio ANTAQ, que passa a ser editado a cada dois anos, venha a se tornar ‘objeto de desejo’ de todos aqueles que militam na seara portuária e aquaviária do país, que seja reconhecido como uma espécie de certificação de excelência junto à academia, às empresas e aos profissionais do setor, e sirva de incentivo e inspiração para o desenvolvimento de novos trabalhos, iniciativas, inovações e busca de conformidades no rumo da sustentabilidade”, ressaltou o superintendente.

Para o gerente de Meio Ambiente e Sustentabilidade da ANTAQ, Marcos Maia Porto, a premiação se reveste de grande importância para o setor aquaviário, “pois dá o devido destaque para os seus aspectos positivos, como os resultados exitosos da gestão ambiental nas suas atividades, em conformidade com a legislação vigente. Além disso, impulsiona o setor com os artigos técnicos e científicos, onde são analisadas as questões mais prementes da atividade e seus desafios, finalizando com a produção de projetos e iniciativas inovadoras”.

O diretor de Meio Ambiente do Porto de Paranaguá, Bruno da Silveira Guimarães, creditou o primeiro lugar na modalidade Melhor Índice de Desempenho Ambiental ao comprometimento da atual Diretoria que acreditou e investiu na melhoria das condições ambientais do principal porto do Paraná e um dos maiores do país em movimentação de cargas. “Há cinco anos, nós ocupávamos o 26º lugar do Índice de Desempenho Ambiental da ANTAQ. No prêmio do ano passado, ficamos no terceiro lugar e, agora, ganhamos o primeiro. Com isso, nosso desafio torna-se ainda maior daqui para frente, que é repetir esse resultado na próxima edição do Prêmio ANTAQ”, manifestou.

Porto de Santos : 1º lugar no Índice de Desenvolvimento Anual

O Porto de Santos foi o vencedor na categoria “Maior evolução anual do IDA”. O presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo, Alex Oliva, elogiou a atitude da ANTAQ. “A ANTAQ mostra que o importante não é só multar, mas também premiar.”

O Porto de Santos, maior porto do país, recebeu do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) a sua licença de operação. A assinatura do termo de licenciamento, a mais importante entre as três modalidades de licença ambiental, aconteceu em abril. Foram 13 anos de busca da regularização, quando foram elaborados diversos estudos e implantados inúmeros ajustes necessários à proteção ambiental no porto santista e que envolveu uma ação conjunta de todos os órgãos públicos intervenientes nas atividades do porto, como a ANTAQ, o Ministério dos Transportes e a Codesp.

Argonáutica Engenharia e Pesquisas LTDA e Praticagem do Estado de São Paulo foram os vencedores da categoria Iniciativas Inovadoras. O diretor da Argonáutica, Rafael Watai, disse que o Prêmio ANTAQ é importante para valorizar empresas novas como a dele, que foi criada em 2012. O objetivo do trabalho vencedor foi garantir a segurança e eficiência das manobras de navio na entrada e na saída dos portos. “A ideia é evitar que o navio toque no fundo do oceano”, disse Watai.

Troféus e Certificados para os melhores do ano

Lílian dos Santos, Joaquim de Aragão e José Shimoishi foram os primeiros colocados na categoria Artigo Técnico-Científico, com o trabalho “Modelo de consolidação comercial e análise de sustentabilidade fiscal aplicados a projetos hidroviários”. “O prêmio mostra o reconhecimento de pesquisas que estão sendo feitas nas universidades. Essa premiação coroa o trabalho de muitos anos na linha de pesquisa Engenharia Territorial”, disse Lílian dos Santos.

Prêmio Antaq 2017 de Sustentabilidade Aquaviária

Maior Índice de Desempenho Ambiental 2017, categoria Desempenho Ambiental

1º lugar – Porto de Paranaguá

2º lugar – Porto de Itajaí

3º lugar – Porto de São Sebastião

Maior evolução anual do IDA, categoria Desempenho Ambiental

1º lugar – Porto de Santos

2º lugar – Porto de Santarém

3º lugar – Porto de Maceió

Qualidade de Atendimento ao Usuário

1º lugar – Empresa A. Amaral de Paiva Navegação ME

2º lugar – Monteiro e Monte LTDA

3º lugar – R.R Amaral de Paiva Navegação ME

Iniciativas Inovadoras

1º lugar – Argonáutica Engenharia e Pesquisas LTDA e Praticagem do Estado de São Paulo (Contribuições do C3OT-Redraft para a Segurança e Eficiência Operacional do Porto de Santos)

2º lugar – Pronave Agentes de Comércio Exterior LTDA (Tecnologias Sustentáveis para Descarga de Granéis Sólidos)

3º lugar – Triunfo Logística LTDA (Eletroímã nas Operações de Movimentação de Ferro Gusa)

Artigo Técnico e Científico

1º lugar – Lílian dos Santos Fontes Pereira Bracarense, Joaquim José Guilherme de Aragão e José Matsuo Shimoishi (Modelo de consolidação comercial e análise de sustentabilidade fiscal aplicados a projetos hidroviários)

2º lugar – Maria da Graça Zepka Baumgarten, Vivian Freitas Aguiar e Lucas Almeida (Porto do Rio Grande (Estuário da Lagoa dos Patos – RS): identificação e caracterização dos locais de lançamento de efluentes líquidos nas margens).

3º lugar – Gustavo Pacheco Tomas e Tobias Bernward Bleninger (Avaliação Hidromorfológica do uso de espigões em hidrovias – Estudo de Caso: Passo do Jacaré.

Fonte: ANTAQ

Por Redação 

Deixe uma resposta