O Comandante de um navio químico foi condenado e exonerado da função, após ter sido encontrado consumindo bebida alcoólica a bordo, poucos instantes antes de seu navio deixar o porto em que se encontrava. O caso ocorreu no último dia 11 de dezembro e assusta pela irresponsabilidade em pleno 2018.

O Comandante, com 17 anos de experiência e cujo nome decidimos omitir por questões éticas, estava a bordo do navio SG Pegasus, de bandeira panamenha, aguardava o momento da manobra de desatracação de Port Taranaki, na Nova Zelândia, carregado com metanol, quando o Prático que estava a bordo para a manobra notou algo estranho, suspeitou que ele houvesse bebido e decidiu comunicar à Polícia e à Autoridade Marítima da Nova Zelândia.

As autoridades locais estiveram a bordo e submeteram o Comandante ao teste de bafômetro, que evidenciou o ocorrido. Conduzido à Delegacia de Polícia local, a fim de realizar agora um teste para contraprova, novamente foi confirmada a suspeita.

Foi detectado uma concentração de 881 microgramas de álcool por litro de ar, quantidade mais de três vezes maior que os 250 microgramas permitidos a bordo de navios internacionalmente.

O tripulante foi considerado culpado pelo Tribunal local, foi retirado de bordo, condenado a pagar uma multa de cerca de US$ 690 e os custos do julgamento. Na sequência, foi imediatamente demitido pela empresa responsável pelo gerenciamento do navio.

É importante entender que, quando um Comandante decide consumir bebida alcóolica  enquanto encontra-se responsável por seu navio, ele coloca em risco todos os seus tripulantes, tripulantes de outros navios, o meio ambiente, a comunidade local, a economia local e o patrimônio do armador.

Certamente não é o que se espera daquele que é oficialmente o Representante do Armador a bordo.

Que todos possamos entender isso e principalmente colocar a mão na consciência antes de decidirmos ingerir bebidas alcoólicas e, independentemente de função, assumir o serviço.

Caso um colega venha te render o serviço sem ter condições de assumí-lo, não passe o serviço. Lembre de tudo o que está em jogo.

Por Rodrigo Cintra

1 COMMENT

  1. “-Caso um colega venha te render o serviço sem ter condições de assumí-lo, não passe o serviço. Lembre de tudo o que está em jogo.” Lembrarei sempre disso, é a frase mais correta do mundo para quem trabalha embarcado.

Deixe uma resposta para Alessandro Rodrigues Cancelar resposta