O vapor SS Warrimoo, um navio de passageiros, seguia navegando de Vancouver, Canadá, para a Austrália. O oficial de serviço no passadiço acabara de tirar o ponto estrela e mostrou ao Comandante, o Capitão John Phillips, o resultado. A posição do navio era 0º31’N / 179 30’W. A data era 31 de Dezembro de 1899. Ao receber a posição de seu oficial de serviço, o Comandante perguntou se ele sabia o que isso significava, mas  o oficial não se atentou.

O Comandante então mostrou que o navio estava bem próximo da interseção da Linha do Equador com a Linha Internacional de Mudança de Data. O Capitão Phillips aproveitou a oportunidade e não desperdiçou a chance de alcançar uma marca histórica em sua carreira.

Ele chamou todos os seus oficiais ao passadiço para verificar novamente a posição do navio e confirmou. Desta forma, ajustou o rumo e a velocidade, seguindo diretamente para o ponto de encontro das linhas.

A posição do navio SS Warrimoo

O mar era de almirante, calmo, sem ventos e sem nuvens, e trabalhou a favor do navio.

Exatamente à meia noite o navio chegou ao Equador, exatamente no ponto de interseção com a Linha Internacional de Mudança de Data.

As consequências disso?

A parte de vante do navio estava no hemisfério sul, no meio do verão. A parte de ré do navio estava no hemisfério norte, no meio do inverno.

Que situação!

A data na proa era 31/12/1899. Já na popa, a data era 1/1/1900.

Desta forma, o navio estava em duas datas diferentes, dois meses diferentes, dois anos diferentes, duas estações do ano diferentes. O navio tecnicamente voltou no tempo.

E alguns incautos afirmam que estava em dois séculos diferentes. Mas infelizmente não estava.

Eu só sei de uma coisa: eu até queria estar a bordo, mas não queria estar ali à meia nau de forma alguma.

Será que você, leitor, percebe alguma coisa estranha neste post? Atenção, hein?

Por Rodrigo Cintra

1 COMMENT

  1. Bela história.
    Só uma ressalva quanto a foto do navio. Como este estava no hemisfério norte e a leste da linha internacional, o rumo do navio deveria ser de aproximadamente 240 graus verdadeiros para atingir tal ponto de interseção e não os 135 graus aproximados que mostra a foto.
    De qualquer forma, uma belíssima história.

    Bons Ventos a todos

Deixe uma resposta para Pablo Giudice Cancelar resposta